Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

Fundacentro e Abpex realizam mais um seminário sobre “Explosões e Áreas Classificadas”

Fundacentro e Abpex realizam mais um seminário sobre “Explosões e Áreas Classificadas”

Em sua terceira edição, especialistas apresentaram o tema em Curitiba

Por Fundacentro/ACS - Débora Maria Santos em 05/09/2019

Temas envolvendo explosões de gases, vapores e poeiras serão apresentados e discutidos no seminário “Prevenção de Explosões e Áreas Classificadas”, a ser realizado no auditório Caio Amaral – Campus da Indústria do Sistema Fiep, situado à avenida Comendador Franco, 1391 – Jardim Botânico – Curitiba – Paraná – PR, ocorrerá no dia 25 de setembro, das 8h às 17h.

Iniciado em maio deste ano, a jornada de prevenção de explosões tem o objetivo informar como acontecem às explosões de gases, vapores e poeiras e, apresentar aos profissionais de segurança e saúde no trabalho os locais onde há possibilidade de formação de tais atmosferas os quais são chamados de áreas classificadas. Nesse sentido, os especialistas informam que para prevenir a ocorrência de explosões é necessária a adoção de medidas preventivas.

A coordenação técnica do evento é realizada pela servidora da Fundacentro (Centro Estadual do Paraná), Maria Madalena dos Santos Pacífico. Informações podem ser obtidas pelo telefone: (11) 3313-5200 ou e-mail: eventospr@fundacentro.gov.br

Informações e inscrição

A Fundacentro e a Associação Brasileira para Prevenção de Explosões (Abpex) iniciaram as Jornadas sobre áreas classificadas, prevenção de explosões de gases, vapores, poeiras e nitrato de amônio nas cidades de Rio de Janeiro/RJ e Santos/SP. Segundo Fernando Vieira Sobrinho, engenheiro químico e de segurança da Fundacentro, “a proposta de realização dos seminários surgiu em 2017, após dois treinamentos realizados para auditores fiscais e membros do Ministério Público do Trabalho (MPT), tendo sido um realizado pela Abpex e outro pela Sub Comissão de Postos de Combustíveis, ambos com a participação da Fundacentro”, informa Fernando.

Completa que “em 2018 cerca de 180 pessoas participaram do seminário em São Paulo, numero que, em 2019, aumentou para cerca de 280 no Rio de Janeiro e chegou à casa de 600 no evento de Santos”, salienta.

Em Santos, com o apoio do chefe do Escritório de Representação da Baixada Santista, Francisco Flávio de Lima dos Santos, e o técnico Josué Amador da Silva que colaborou com a coordenação técnica do evento, salientaram a importância de realizar o evento na Baixada Santista para discutir temas importantes que vão ao encontro da existência da instituição em promover estudos sobre as condições de exposição a riscos ambientes e, assim, poder fomentar ações de prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

Fernando Sobrinho também comenta que a região de Santos é considerada estratégica pelas suas características, onde se concentram atividades portuárias, terminais marítimos, silos, polo petroquímico e diversas indústrias químicas pontualmente localizadas.

O especialista Frank Raad, diretor da Fratex Bradisa, comenta que a prevenção contra explosões, vazamentos, manuseio correto de equipamentos, inspeção, adequações necessárias em navios, fiscalização e medidas de proteção são importantes para garantir a segurança.

“Investir na capacitação dos trabalhadores para exercerem as suas atividades em áreas classificadas é fundamental. Bem como o processo de regularização de acordo com as normas regulamentadoras 10, 19, 20 e 37”, frisa Raad. Completa que “o gerenciamento de riscos e a realização dos laudos são fundamentais à segurança de vida dos equipamentos”.

O gerente de projetos da Project-Explo, Rodrigo Bertevelli e Hélio Rodrigues, coordenador de Certificação de profissionais da Abendi, informaram que é necessário seguir as normas e o profissional certificado realiza atividades que envolvem projeto, instalação, manutenção, inspeção e reparo. Essas iniciativas garantem um trabalho seguro e a eliminação de riscos de explosões.

Existem etapas no decurso que envolve o processo de industrialização de alimentos os quais englobam recebimento, armazenamento, transporte e o descarregamento de produtos. Nestas etapas, de acordo com Luiz Barbim, gerente da Fike e membro do Grupo de Trabalho da Abpex, o setor de armazenamento pode causar acidentes e colocar em risco o trabalhador.

O setor de armazenamento é considerado um espaço confinado, conforme apresenta a norma regulamentadora 33 (Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados) que, neste caso, pode desencadear grandes e graves acidentes. De acordo com especialistas, a explosão e o incêndio ocorrem quando a poeira dos grãos é aquecida até chegar ao ponto de liberação dos gases de combustão que ao entrarem em contato com uma fonte de energia leva ao incêndio.

Durante a palestra Barbim destaca métodos preventivos que podem ser utilizados, como por exemplo controle de fontes de calor, manutenção rotineira dos aparelhos, limpeza do ambiente, janelas e painel de ventilação.

Já, o engenheiro de aplicações Jair Carlos Oliveira Junior destaca que a detecção de incêndios em áreas de explosões é essencial para descobrir incêndios no inicio do seu desenvolvimento e, com isso, possibilitar a evacuação dos trabalhadores. “Os sistemas de alarme permite que os agentes de emergência saibam o local do foco de incêndio e possam iniciar o processo de controle”, discorre.

Os especialistas de um modo geral explanaram sobre os acidentes e a importância de seguir as normas pertinentes, capacitação dos trabalhadores e gerenciamento de riscos. O presidente da Academia Brasiliera para Prevenção de Explosões (Abpex), Nelson Lopes, Ruben L. Gonzalez, gerente de Projetos da Project-Explo, Gabriel Corbari, diretor da Corbari Industrial e membro do GT- Abpex e Haroldo Martins Junior, consultor da Abpex.

O coordenador do seminário Fernando Sobrinho comenta que além das discussões sobre a prevenção de acidentes já na fase de projetos, os eventos difundem informações sobre explosões, necessidade de aprimoramento das legislações sobre poeiras explosivas, nitrato de amônio e produtos perigosos não inflamáveis. “O processo de regulamentação da Convenção Organização Internacional do Trabalho (OIT) nº 174, que versa sobre a prevenção de grandes acidentes químicos, não avançou para além dos inflamáveis com a NR 20. A Convenção 174 da Organização Internacional do Trabalho foi ratificada pelo Brasil por meio do Decreto Presidencial nº 4.085, de 16 de janeiro de 2002”, informa.

Fernando ainda ressalta que “há também a preocupação, não somente com a devida capacitação de todos agentes públicos e privados envolvidos, mas também com a certificação dos mesmos. A questão da capacitação, aliás, também é uma discussão que o Grupo Técnico sobre Educação em Segurança química, da Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq) tem promovido, inclusive com ações efetivas como cursos regulares e para docentes de escolas técnicas”, finaliza o engenheiro químico e de segurança da Fundacentro.

Está previsto para ocorrer no dia 23 de outubro, o seminário ocorrerá em Recife – Pernambuco.

Leia mais:

Primeira etapa das Jornadas sobre prevenção de explosões ocorre no Rio de Janeiro

Especialistas enfatizam sobre segurança em áreas classificadas e acidentes com nitrato de amônio

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.