Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

> busca avançada

Pesquisa propõe diretrizes arquitetônicas para unidades de Estratégia de Saúde da Família

Marçal e sua orientanda Márcia Schüler em defesa realizada na Fundacentro/PR

Estudo, realizado no Programa de Pós-Graduação “Trabalho, Saúde e Ambiente” da Fundacentro, ocorreu em Videira/SC

Por ACS/ Cristiane Reimberg em 19/06/2017

A professora do Instituto Federal Catarinense – IFC Videira, Márcia Elizabéte Schüler, estudou as unidades de Estratégia de Saúde da Família - ESF inseridas em oito unidades básicas de saúde (UBS) de Videira/SC. O objetivo principal foi a construção de diretrizes arquitetônicas, a partir da análise dos espaços e da realização de dois grupos focais em que pôde ouvir os trabalhadores, mostrando como as questões de espaço influenciam nas condições de trabalho e dificultam a qualidade de atendimento à população.

A pesquisa, realizada no Programa de Pós-Graduação “Trabalho, Saúde e Ambiente” da Fundacentro, teve a orientação do doutor em Ergonomia pelo Conservatoire National des Arts et Métiers, da França, e pesquisador da Fundacentro, José Marçal Jackson Filho. “Nossa linha é políticas públicas e conseguir contribuir para a projeção de um serviço público de qualidade, considerando as condições de trabalho, é um ganho para o trabalhador e para a sociedade”, avalia Marçal.

Por meio de uma abordagem qualitativa, a pesquisadora realizou observações nos locais, levantamentos fotográficos e grupos focais, tendo como meta uma análise dos espaços e dos conflitos arquitetônicos neles encontrados.

“Os trabalhadores puderam dar voz às suas percepções acerca dos espaços oferecidos e seus impedimentos no desenrolar das atividades em toda sua complexidade”, explica a pesquisadora na dissertação. O confronto destas percepções com o que se coletou através das observações nos locais permitiu perceber as carências e os conflitos arquitetônicos existentes.

“Pode-se dizer que a falta e a qualidade dos espaços são dos aspectos que mais impactam os trabalhadores, comprometem a organização do trabalho, aumentando a pressão por parte dos usuários em resoluções imediatas, as quais nem sempre são possíveis. Outro aspecto tem a ver com as questões de segurança, as quais podem gerar medo e angústia”, conclui Márcia Schüler na dissertação.

“Além disso, a higiene dos espaços associada às questões de manutenção provou ser um fator muito valorizado pelos trabalhadores que relatam insatisfação e constrangimento quando verbalizam que gostariam de receber os pacientes na unidade de saúde como se recebe um amigo em sua própria casa”, completa.

Algumas diretrizes apresentadas

“Para a elaboração de projetos, o programa arquitetônico deve definir as dimensões de forma proporcional aos usos requisitados na elaboração de diretrizes, tamanho da equipe de trabalho e população a ser atendida, devendo, portanto, haver um cuidado especial no cálculo das demandas previstas para cada localização, individualmente.”

“No projeto das edificações, a interligação entre as áreas especificadas, seus respectivos dimensionamentos, geometria e uso de materiais" deverão ser concebidos "em função da localização de cada unidade, não sendo possível, portanto, a criação de um padrão rígido de projeto.”

“Os consultórios que servirão à ESF (médico, odontológico, psicológico, entre outros) deverão ser acessíveis e livres de interferências externas ao serviço, com privacidade para as consultas e atendimentos.”

“A farmácia requer atenção especial no que diz respeito às suas dimensões e compartimentalização. Ela deve contar com uma área de armazenagem para os medicamentos que seja restrita aos profissionais que ali trabalham, e com um espaço reservado para a dispensação de receitas, onde seja possível explicar confortavelmente o uso e as dosagens aos pacientes. É aconselhável que sua abertura para o atendimento seja externa, não sendo assim necessário que o paciente adentre a ESF para ser atendido.”

Outras diretrizes podem ser encontradas na dissertação.

Defesa

A dissertação de mestrado - “Condições de trabalho no projeto de espaços de promoção à saúde: da avaliação pós-ocupação à definição de diretrizes para unidades de Estratégia de Saúde da Família, Videira, Contestado Catarinense” - foi defendida em 10 de março, na unidade da Fundacentro em Curitiba/PR.

A banca de defesa foi composta pela doutora em Arquitetura pela Architecture School - Chalmers University of Technology e professora associada da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Marta Dischinger, e pelo doutor em Saneamento, Meio Ambiente e Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG e coordenador do Programa de Pós-Graduação "Trabalho, Saúde e Ambiente" da Fundacentro, Gilmar Trivelato.

O trabalho em breve será disponibilizado na Biblioteca Digital da Fundacentro.

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.