Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

Fundacentro disponibiliza livro com a história dos 50 anos da instituição em versão digital

Livro em comemoração ao cinquentenário da Fundacentro

Ações contribuíram para a construção da área de segurança e saúde no trabalho no país

Por ACS/C.R. em 21/12/2016

No ano em que a Fundacentro comemora os seus 50 anos, ela disponibiliza para a sociedade um livro que conta a sua história. Instituída em 21 de outubro de 1966, com a publicação da Lei nº 5.161, a instituição iniciou as comemorações do seu aniversário há dois meses, quando apresentou a obra aos presentes, com uma palestra da autora Cristiane Oliveira Reimberg. Agora já é possível fazer o download do livro no portal institucional, na Biblioteca Digital.

O livro Fundacentro: meio século de segurança e saúde no trabalho é fruto de pesquisa realizada pelo Grupo de Resgate Histórico – GRH desde 2008, que reuniu documentos, colheu 19 depoimentos, fotos e informações sobre a história da instituição. Além disso, a autora, que é jornalista e atual coordenadora do grupo, realizou 37 novas entrevistas presenciais entre dezembro de 2015 e abril de 2016, focadas na elaboração do livro. Outros depoimentos foram colhidos por e-mail e por telefone assim como se realizou um trabalho de coleta de informações com as 13 unidades descentralizadas (UDs) da instituição: 7 pessoas entrevistadas por e-mail, 1 por telefone e 43 informantes de regionais (por e-mail ou telefone). No total, foram ouvidas 107 pessoas.

“Nesta obra, assumimos o compromisso de dar voz aos sujeitos da história, aqueles que fizeram e fazem a Fudacentro acontecer, e por isso buscamos ouvir todos que pudemos, tentando não nos limitarmos à história oficial. Ela está presente através dos documentos antigos, das publicações da época, mas as entrevistas buscaram dar vivacidade ao que estava registrado”, afirma a jornalista na introdução do livro.

Esta história é apresentada em três capítulos: “A criação da Fundacentro”, “As unidades pelo Brasil” e “Uma história de intervenção e pesquisa”. A narrativa começa buscando responder a questão “De onde viemos?”, assim aponta as discussões que antecederam e culminaram na criação da instituição. Conta-se como foram definidos os primeiros estatutos de 1968 e os trabalhos pioneiros desenvolvidos pela então Fundação Centro Nacional de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho, desde dezembro de 1978 chamada como “Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho”. São mostrados fatos como o nascimento da biblioteca em 1969, a criação da Revista Brasileira de Saúde Ocupacional (RBSO) em 1973 e o processo de construção da sede da Fundacentro em São Paulo, o Centro Técnico Nacional (CTN), em Pinheiros, que iniciou suas atividades em fevereiro de 1983.

No segundo capítulo, conta-se a história de cada uma das 13 UDs da Fundacentro presentes em diferentes regiões do país: Belém/PA, Belo Horizonte/MG, Brasília/DF, Campinas/SP, Campo Grande/MS, Curitiba/PR, Florianópolis/SC, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, Santos/SP e Vitória/ES. “Com o objetivo de expandir as ações da instituição a todo território nacional, as UDs começaram a ser criadas na década de 1970. Havia uma forte relação entre a criação delas e um projeto de formação e educação de profissionais de SST”, explica Reimberg na introdução do livro.

O terceiro capítulo busca retratar três grandes temas: a atuação da Fundacentro na elaboração da legislação em SST; o papel educativo da instituição; e um resumo deste meio século de estudos e atividades em prol da saúde e da segurança do trabalhador. “Essas três questões estão interligadas, visto que, muitas vezes, as pesquisas geram intervenções. Já em outras, a necessidade de intervenção leva ao desenvolvimento de estudos”, aponta a autora.

São relatados fatos como a participação dos técnicos da Fundacentro na elaboração das Normas Regulamentadoras (NRs); a formação dos primeiros profissionais da área - 104.828 médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem do trabalho, engenheiros e técnicos de segurança entre 1973 e 1985; as publicações produzidas ao longo da história; e a criação da Pós-Graduação “Trabalho, Saúde e Ambiente” em 2011.

Na conclusão do livro, são apresentadas algumas dificuldades atuais como o reduzido número de servidores, a necessidade de concursos públicos e a falta de verba para diárias e passagens. Dados de junho de 2016 apontavam a existência de 277 servidores ativos, dos quais 68 estavam em abono permanência, ou seja, em condições de se aposentar.

“Se começamos o livro perguntando ‘De onde viemos?’, nas considerações finais tentamos refletir sobre ‘Para onde vamos?’. Não trazemos uma resposta pronta, pelo contrário, apresentamos algumas das inquietações que nos foram reveladas pelos servidores durante as entrevistas, em conversas de corredores, em reuniões das comissões existentes. Na verdade, essa resposta terá que ser dada por cada um nós, sujeitos desta história, nos próximos anos que serão construídos. Eis a questão filosófica e existencial clássica que move a humanidade. Eis o nosso desafio”, conclui a jornalista na introdução do livro.

Compartilhar:

Recomendar Notícia

Recomendar Notícia

É obrigatório o preenchimento dos campos com *

Dados remetente

Dados destinatario

Máximo de 1500 caracteres. Quantidade de caracteres digitados:

Confirmação dos dados - Recomendar essa Notícia

Dados confirmação
Recomendar para outro destinatário

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.