Carregando... Carregando...
 
Busca Simples

Trabalho, Mulher e Participação Política no Alto Jequitinhonha: um Estudo sobre Protagonismo Feminino em Capelinha/MG

Download

Arquivo: PDF

info
teseRosario-trab,mulher_20131003171551.pdf

Tamanho: 2,19 MB

Teses

Autor:

Unidade:

Assunto:

Trabalho; Mulher; Política; Hegemonia

Área de Concentração:

Ano:

Resumo:

Esta tese, intitulada “Trabalho, mulher e participação política no Alto Jequitinhonha – um estudo sobre protagonismo feminino em Capelinha/MG”, teve por objetivo examinar o processo de reprodução social e as determinações do trabalho sobre a prática política de mulheres trabalhadoras que participam da sociedade civil em Capelinha/MG. A produção do conhecimento que ora socializamos se fez mediada por procedimentos metodológicos e, embora não tenhamos ignorado as técnicas quantitativas, nela preponderaram os métodos inerentes à pesquisa qualitativa. Por isso, destacamos a realização de reuniões individuais e coletivas pelas quais acedemos à “História de vida” de onze (11) mulheres que vivem e trabalham em Capelinha/MG. Essas 11 (onze) mulheres trabalham na cidade e na zona rural e exercem destacada liderança nas comunidades que as elegeram como referência social e política. Com essas credenciais as mulheres buscam atenuar as dificuldades de sobrevivência do grupo oriundas de sua posição na divisão do trabalho, um dos sustentáculos da reprodução capitalista. Esta, por sua vez, faz com que o processo de reprodução social se apresente diferenciadamente para as distintas classes sociais e suas frações, quando para poucos sobra muito e para muitos, pouco sobra. De modo a não soçobrarem, as mulheres do grupo, em razão de sua subalternidade, criam mecanismos de enfrentamento ao grupo opressor alternando entre resistir e consensuar segundo determinações de suas circunstâncias (GRAMSCI, 1978, 1979, 1985, 2004). Entretanto, as artimanhas de um Estado que lhe foi sempre mínimo e a mais que tardia inserção no modo capitalista de produção marcam negativamente essa região e contraditoriamente condenam essas mulheres a viver na zona mais oriental (GRAMSCI, 1978, 1979, 1985, 2004) do Brasil. Significa dizer que esse grupo de mulheres vive no império da pequena política (GRAMSCI, 1978, 1979, 1985, 2004) comandado por uma oligarquia de igual latitude. Ainda assim, lutam. Entretanto, quase sempre devem consensuar de modo a não perder mesmo o que já não possuem. A tese se encontra organizada em seis partes precedidas por uma introdução na qual apresentamos a delimitação da temática de estudo, as hipóteses, os objetivos geral e específicos e esclarecemos a estruturação geral da tese. Na primeira parte anunciamos os fundamentos teóricos metodológicos e os dados referidos à pesquisa de campo: campo de pesquisa, cidade amostra e grupo de pesquisa. Na segunda parte explicitamos os referenciais teóricos que embasaram a construção da analítica dos processos examinados, deles extraindo nossas categorias de análise, a saber: trabalho, política e mulher. Nas terceira e quarta partes é examinada a inserção da mulher no mercado de trabalho brasileiro, enquanto na quarta parte discutimos a reprodução social no Alto Jequitinhonha detendo-nos na particularidade desse processo em Capelinha. Na quinta parte analisamos como se processam as relações do grupo de pesquisa e a hegemonia local, quando estas, em decorrência das injunções do trabalho para a vida, devem necessariamente adentrar pela sociedade civil, isto é, a política, aqui compreendida como o trabalho para mudar de vida. O término desta pesquisa – em tese e em relato – se faz pela exposição das considerações finais, cujo conteúdo sintetiza o trabalho desenvolvido no Rio de Janeiro, Capelinha e Belo Horizonte, entre os anos de 2009-2013.

FUNDACENTRO - Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho.
Sede: Rua Capote Valente, Nº 710 - CEP: 05409-002 - SÃO PAULO-SP - BRASIL - CAIXA POSTAL: 11.484 / CEP: 05422-970
Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem a permissão da Instituição.